A Próstata

Tamanho de letra 


Estudo recomenda tomate para prevenir cancro da próstata

Homens que consumirem regularmente mais de dez porções de tomate por semana podem reduzir em 20% os riscos de câncer de próstata, indicou um estudo feito por pesquisadores britânicos.

O estudo, realizada em colaboração entre as universidades de Cambridge, Oxford e Bristol, analisou a alimentação e o estilo de vida de cerca de 20 mil britânicos com idade entre 50 e 69 anos.

Os pesquisadores verificaram que aqueles que consumiam mais de dez porções de tomate por semana – na forma de saladas de tomate fresco ou sumo de tomate, por exemplo – reduziram em 18% o risco de cancro de próstata.

Aqueles que consomem cinco porções de frutas e legumes - ou mais - por dia podem diminuem em 24% o risco de apresentar a doença no futuro, em comparação com homens que comem duas porções e meia desses alimentos ou menos, indicou a pesquisa.

O cancro da próstata responde por 15% dos cancros que afetam os homens, segundo a Rede Global do Fundo Mundial de Pesquisa contra o Cancro (WCRF International, em inglês). Só em 2012 foram registrados mundialmente 1,1 milhão de casos, o equivalente a 8% de todos os casos, informa a organização.

Para prevenir a doença, os especialistas recomendam uma dieta balanceada, com ênfase em frutas e legumes, e pouca ingestão de gordura, sal e carne vermelha ou industrializada.
O estudo britânico indicou que no caso específico do tomate, os benefícios em termos de propriedades anti-cancerígenas podem vir do licopeno, um antioxidante que pode proteger o organismo contra danos nas células e no DNA.

"Nossas descobertas sugerem que os tomates podem ser muito importantes para a prevenção do cancro", disse Vanessa Er, da Escola de Medicina Social e Comunitária na Universidade de Bristol.

Ela acrescentou que "os homens também devem comer uma grande variedade de frutas e vegetais, manter um peso saudável e fazer exercício com frequência".

Os autores do estudo pesquisaram dois outros componentes ligados ao cancro da próstata: o selénio, presente em alimentos a base de farinha, como pão e massa, e o cálcio, encontrado em produtos lácteos como o leite e o queijo.

Homens que ingeriram a quantidade ideal desses três componentes na dieta tiveram risco mais baixo de apresentarem cancro de próstata, disseram os pesquisadores.

Vanessa Er recomendou "estudos mais avançados" para confirmar estas constatações, especialmente na forma de testes clínicos.